sexta-feira, março 31

Barómetro

Com base no «Barómetro Felgueiras 2005» os resultados à pergunta: «Em quem vai votar?» (eleições PS Felgueiras) foram os seguintes:
Lista A - Inácio Lemos: 39% Lista B - Eduardo Bragança: 18% Branco: 43%

Nota: Claro que neste barómetro deveriam ter votado apenas os militantes ou simpatizantes socialistas, mas não devem ter sido apenas estes, ou foram?

quinta-feira, março 30

Para a posteridade nº 0

Rigoroso exclusivo para o Felgueiras 2005.

Editorial do nº 0

Editorial

Eis o EXPRESSO DE FELGUEIRAS.
Independência e Credibilidade é a ideia de força que nos propomos potenciar num projecto jornalístico feito por profissionais, que pretende assumir-se como um fórum plural, no qual todas as correntes de opinião terão voz.
Sabemos que alguns sectores da sociedade felgueirense nos olham com desconfiança. Já sentimos isso nos contactos que realizámos nas últimas semanas. Há quem tema que interesses obscuros, nomeadamente político-partidários, possam estar na base deste projecto, o que se compreende, contextualizando o passado.
Posso garantir, com toda a convicção, que isso não acontece connosco, o que, porventura, constituirá algo inédito neste concelho. Vamos demonstrá-lo no decurso do nosso trabalho.
As pessoas que dão corpo ao EXPRESSO DE FELGUEIRAS partem solidamente convictos de que este jornal só será o que os felgueirenses quiserem. Se nos ajudarem, assinando o jornal e abrindo-nos outras portas - condição incontornável para a consolidação do projecto -, os felgueirense podem estar certos de que o jornal irá crescer. Com a nossa vontade, com o vosso apoio, o EXPRESSO DE FELGUEIRAS irá transformar-se, naturalmente, num órgão de comunicação que prestigiará o concelho.
O maior prazer que poderemos sentir no futuro é constatar que a maioria dos felgueirenses se sentem orgulhosos neste jornal.
Estamos prontos. Somos humildes. O nosso trunfo é o trabalho e a experiência que conseguimos ao serviço de prestigiados jornais regionais e nacionais.
Se noutros concelhos vizinhos tem sido possível desenvolver projectos credíveis, não seremos capazes de, todos juntos, aqui em Felgueiras, fazermos também um jornal sólido e independente?
Acredito que sim. Conheço Felgueiras e sei que muita gente espera há muito um projecto com as linhas que pretendemos agora desenvolver.
Partimos com uma vontade enorme de fazer um jornal pela positiva. Queremos, acima de tudo, promover aquilo que de bom se faz no nosso concelho. Não vamos ter atitudes persecutórias com ninguém, nem o anonimato terá guarida nas nossas páginas.
No EXPRESSO DE FELGUEIRAS, as colectividades, as juntas de freguesia, as paróquias e outras instituições terão uma porta aberta para a divulgação das suas actividades. Sabemos que só assim conseguiremos implantar o EXPRESSO DE FELGUEIRAS de forma sólida e homogénea em todo o território concelhio.
Este é o número zero, no qual procuramos já mostrar aos felgueirense o tipo de trabalho que queremos desenvolver no futuro.
Graficamente moderno, plural, independente, diversificado e atento ao pulsar desta terra. Somos assim. Vamos trabalhar todos juntos em prol deste nosso/vosso EXPRESSO DE FELGUEIRAS.
Como é tradição em cada jornal que “nasce”, convidámos a primeira figura do concelho, a Dra. Fátima Felgueiras, para uma entrevista neste primeiro número. A senhora presidente recusou o convite, o que respeitamos.
Neste número zero, podíamos ter apresentado um jornal maior, com mais páginas, mas, porque não temos por detrás quaisquer grupos económicos, preferimos partir para esta caminhada com um jornal mais pequeno e economicamente sustentável, mas nem por isso recheado de assuntos diversificados, que esperamos agradem à maioria dos nossos leitores.
Nascemos agora. Somos um pequeno rio. Queremos crescer e engrossar o nosso caudal informativo, tornando-o mais completo e diversificado, assim queiram os felgueirenses.
Obrigado aos que nos têm ajudado com palavras de estímulo.
Vamos trabalhar.

Armindo Mendes

A ler


A ler a entrevista de Inácio Lemos no Diário de Felgueiras sobre as eleições no PS Felgueiras.

quarta-feira, março 29

Bloggas?

Numa altura em que a informação é debitada a uma velocidade alucinante, o recurso aos blogues, para ler as primeiras reacções às notícias é um recurso cada vez mais utilizado. Mesmo com jornais diários, notícias nas rádios e televisões de trinta em trinta minutos, a necessidade de fazer uma triagem rápida daquilo que mais interessa ao público em geral ou daquilo que tem mais impacto, passa por uma leitura rápida dos blogues.
Felgueiras não é diferente. Os blogues de Felgueiras, que tratam dos seus assuntos, são lidos por dezenas de pessoas, daí a média diária do Felgueiras 2005, de cerca de 115 acessos desde a sua criação a 6 de Abril de 2005 (ontem foram cerca de 150). Os blogues locais, com mais procura são A Rosa, JS Felgueiras, BE Felgueiras e o Diário de Felgueiras, para além deste modesto Felgueiras 2005. E as razões são claras. Os felgueirenses procuram informação e opinião credível sobre o seu concelho, seja política, judicial, ou simples curiosidade, relegando para segundo plano outros blogues anónimos normalmente criados para fins específicos e para crónicas de maldizer.
Mas mesmo assim muitos há, que continuam a achar «que estes não são importantes no esclarecimento dos militantes» e dos felgueirenses acrescento eu.

Barómetro Felgueiras 2005

Os resultados do Barómetro Felgueiras 2005, à pergunta «O desempenho da oposição é:» são:
Positivo: 5% Assim assim: 16% Negativo: 79%

terça-feira, março 28

Sem comentários

Este post não permitirá comentários. Simplesmente, porque ao contrário do que muitos apregoam de posturas correctas e sem golpes baixos, é assim mesmo que acabam.

Aceitei integrar uma candidatura à concelhia do PS porque simplesmente acredito que este é um momento importante para o partido, e devo dar a minha contribuição de dentro para fora, e não só de fora para dentro. Como nunca poderia estar ao lado da outra candidatura, estou na lista que é liderada por Eduardo Bragança.

Continuando a reafirmar tudo o que disse. E, assumindo como uma tarefa prioritária a reconstrução do partido em Felgueiras, mas nunca esquecendo os erros cometidos no passado, e quem os cometeu, e foi opositor das candidaturas do próprio partido.

segunda-feira, março 27

1ª baixa

Lá teria que chegar o dia em que a primeira baixa se verifica. Torcato de Sousa entendeu, por motivos pessoais e profissionais, não continuar a colaboração que vinha mantendo com este blogue. Claro que este sítio terá sempre as portas abertas a algum texto que pretenda publicar ou para o regresso.
Obrigado pela colaboração.

Avaliações II

No seguimento da oportuna posta de Hélder Quintela, quanto às avaliações – do executivo e da oposição – tenho uma opinião algo divergente.
Partindo de princípios diferentes, a avaliação dos desempenhos do executivo e da oposição deve ser feita, por isso, de dois prismas diferentes.
A autarquia, que tem uma composição quase toda ela diferente, com excepção da Presidente, e apesar da falta de programa (os XVII pontos não são um programa), pode ser comparada com o passado, por dois motivos. Primeiro, porque apesar da equipa remodelada, não deixa de ser um programa da sua Presidente, com as suas estratégias e os seus timings. E segundo, porque se trata de uma verdadeira «continuação» do executivo anterior.
Sendo assim, este executivo camarário, está completamente parado desde que tomou posse. Não há uma estratégia definida, medidas concretas, uma «obra de mandato», nada. Por isso a minha avaliação não podia deixar de ser muito negativa.
Quanto à oposição aqui o critério é outro. Como nunca exerceu o poder, mas apresentou um programa eleitoral podemos comparar com esse critério, não na medida óbvia da sua execução, mas na medida em que toma as posições na Assembleia Municipal. E aqui lembro de cor, o voto contra no aumento do I.M.I, que este executivo camarário propôs (e aprovou) e que está de acordo com aquilo que o PSD propôs durante a campanha eleitoral, que era baixar a taxa do I.M.I.. Mas, como o PSD é um partido que pretende governar o concelho de Felgueiras esperava mais. Esperava que fosse o PSD a marcar a agenda política, a confrontar a autarquia com factos e problemas dos munícipes. Mas isso não tem acontecido. Claro que desde a tomada de posse, passaram «apenas» cinco meses e próximas eleições autárquicas estão a três anos e meio…

sábado, março 25

Bloco - a 1.ª vez

Foi eleito na semana que agora finda o primeiro Secretariado do Núcleo Concelhio do Bloco de Esquerda.
Para a história ficam: António Jorge Ferreira da Silva, Bruno Joaquim da Silva Mendes, Diogo Oliveira Coelho Pimentel Silva, Joaquim dos Santos Pinho, Pedro Filipe Fidalgo de Sousa Machado.
Num tempo de refundação dos partidos em Felgueiras, após a hecatombe registada nas eleições autárquicas, esta vitalidade demonstra a disponibilidade dos felgueirenses para participação na vida político-partidária concelhia.

Avaliações!

No momento de avaliar o desempenho do que quer que seja, torna-se necessário que existam métricas que permitam efectuar a mensuração, mas também um ponto de partida para efectuar a comparação, por exemplo, as expectativas iniciais. Vem isto a propósito da avaliação que este blog tem promovido relativo ao desempenho do executivo, e esta que está a decorrer da oposição.
Relativamente ao executivo os resultados são francamente negativos (Negativo: 56%, Muito Negativo: 10%) e os da oposição parecem ser muito parecidos (basta olhar para o barómetro). No entanto, na primeira votação eu pertenço aos "Não Sabe". O Movimento Sempre Presente não apresentou um manifesto de candidatura com explicitação de iniciativas por áreas, como por exemplo, a Dr.ª Fátima Felgueiras tinha feito 4 anos antes, numa cerimónia pública no Cine-Teatro Fonseca Moreira, que contou com a presença de Narciso e Coelho. Logo quais eram as expectativas iniciais em Outubro de 2005? XVII frases, tão bonitas quanto vagas. Daqui a 4 anos, tudo o que se tiver feito, independentemente de ser muito ou pouco, será muito mais do que o prometido. Eu espero e desejo que seja muito, pois quero o melhor para o meu concelho.
Quanto à oposição, leia-se PSD, aí pertenço aos que votam Negativo... Porque tem estado acomodada e sem iniciativa!
Mas por aquelas bandas da direita (PSD), as coisas também não estão muito melhores quando comparadas com o PS. O Dr. Francisco Cunha não tomou uma posição firme depois de ter sido desconsiderado pelos seus camaradas na votação para a Assembleia Municipal, e pelo que vai correndo a demissão do Dr. Manuel Faria ainda não se concretizou, apesar de ter sido anunciada no rescaldo das eleições. E enquanto isso a JSD vai ganhando espaço político.
No PS as eleições estão agendadas para o final deste mês, assumindo estas uma importância vital pois o PS não é em Felgueiras um partido estabilizado como alguns tentam fazer crer, e necessita de se refundar para voltar a assumir o protagonismo necessário na vida política concelhia. Ainda quanto às eleições para a CPC do PS, não deixa de ser curioso para mim, que a primeira candidatura a ser apresentada seja liderada pelo Dr. Inácio Lemos. A curiosidade não tem a ver com a sua liderança na lista, nem com a fusão com o movimento protagonizado pelo Eng.º Luiz Simões, e muito menos com o apoio inequívoco da JS. Mas sim pela sua reacção enérgica a um comentário meu em que eu indicava como provável a sua recandidatura, que afinal se confirmou. "Quando chegar a altura exacta serei eu a anunciar a minha decisão e aquilo que irei fazer. Uma coisa é certa posso não estar lá mas andarei por aí." (in a-rosa.blogspot.com).
Só não gostaria que me apelidassem, como Durão fez a Santana, de ser uma mistura de "Gabriel Alves com Prof. Zandinga", :-) uma vez que a recandidatura era um cenário fácil de prever. E esta hein!

sexta-feira, março 24

«já» não

Hipermercado Feira Nova «» não vem para Felgueiras notícia o JN.
A notícia diz que «ao contrário do que foi noticiado pela Comunicação Social local e pelo JN, que se basearam numa deliberação de uma reunião do Executivo colocada no "site" da Câmara na Internet, documento que, erradamente, induzia que tinha sido aprovada, por unanimidade, a pretensão da Sociedade Feira Nova Hipermercados de vir a construir uma nova superfície comercial» dizendo ainda que «a autarquia não reagiu à notícia, mas mandou retirar as actas das deliberações da Internet». Nem uma nem outra são verdade. A acta está online (ponto 22 da ordem de trabalhos) e o que diz é que «a Câmara tomou conhecimento e ratificou por unanimidade a decisão» e isso era o que já dizia.
Confesso que na altura ao ler a acta, também fiquei com a primeira ideia de aprovação do novo hipermercado. Mas, uma segunda leitura dá para perceber que o que Câmara ratificou e aprovou, foi a decisão técnica, essa sim que não se sabia qual ser, porque não consta da acta e que é de não aprovação. O mal é que as actas publicadas no sítio da autarquia são parcas em esclarecimentos.

quinta-feira, março 23

NO PASA NADA?

«Começo por esclarecer os menos atentos que o ex-vereador da Câmara Municipal de Felgueiras revelou que informou António Guterres, Jorge Coelho e José Sócrates sobre as irregularidades que deram origem ao processo do «Saco Azul», mas que os mesmos não deram seguimento às denúncias, nem delas deram conhecimento à Procuradoria-Geral da República (PÚBLICO, 23.3.2006: 18). Aparentemente, ninguém está interessado em desmentir Horácio Costa, ou em prestar um esclarecimento à opinião pública. No pasa nada?» Paulo Gorjão NO PASA NADA?
Eu relembro também que não foi «apenas» isso que Horácio Costa disse ou deu a entender. Ele referiu explicitamente (reportagem SIC no noticiário às 13 horas) José Sócrates aquando secretário de estado no tempo em que se construíram os aterros sanitários no Vale do Sousa (um dos alegados esquemas do processo «saco azul») e também na questão da sede do PS Felgueiras. Mas no Jornal da Noite, restantes telejornais e jornais de hoje essa parte da peça foi «esquecida».

São rosas senhores, são rosas!

Para lá das rosas e demais floreado, era importante saber [pergunto eu apesar de saber que ninguém me vai responder] a que projectos se estava a referir a presidente de câmara, quando disse que o governo está a apoiar diversos projectos em Felgueiras.

Já é oficial

«Inácio Lemos, actual líder da Concelhia do PS/Felgueiras e recandidato ao cargo nas eleições para um novo mandato – que se realizam no próximo dia 31 -, apresenta hoje a sua candidatura e o respectivo programa eleitoral

quarta-feira, março 22


Quantos é que ainda têm a camisola vestida, afinal?

Novo Barómetro Felgueiras 2005

Já podem votar no novo barómetro do Felgueiras 2005. Agora a pergunta é:
«O desempenho da oposição é:»
[por motivos alheios a este blogue a pergunta ficou sem acentos no barómetro]

terça-feira, março 21

Quanto custa?



O nosso primeiro-ministro inaugurou hoje a auto-estrada entre Guimarães e Felgueiras. O destaque da TSF foi para o encontro entre José Sócrates e Fátima Felgueiras, «hoje pela primeira vez desde que a autarca regressou do Brasil, onde esteve fugida à justiça portuguesa.». É pena que o destaque seja esse. É que eu queria saber se Fátima Felgueiras, que é a presidente da autarquia de Felgueiras disse ao primeiro-ministro que os felgueirenses estão descontentes com o preço que pagam pelas portagens.

Aceite-se...

Cada um tem a sua forma de estar, de agir, e sobretudo a sua opinião. E estas premissas significam que cada um tem direito a ver as suas acções respeitadas. Agora não me peçam é para concordar e aceitar aquilo de que discordo. E porque neste blog não existe a menção: "as opiniões dos colaboradores não reflectem a opinião do todo", eu claramente me demarco das opiniões e atitudes de que discordo. E aqui trata-se sobretudo de atitudes...

segunda-feira, março 20

Discutir Felgueiras…

Afinal o que entendem por “Discutir Felgueiras”?

Será que há temas tabus?

Ao afirmar que a forma como Felgueiras é vista, pelo país fora, é aquela que retrata a fotomontagem do arioplano, que crime de lesa-majestade terei eu cometido? Onde está o “abuso de expressão”? Só por puro atavismo ou gritante falta de contacto com o mundo exterior (compreenda-se, o mundo fora de Felgueiras) se pode estar alheio a esta realidade.

Discutir Felgueiras, hoje, passa por discutir Fátima Felgueiras. Goste-se, ou não, a Senhora é a cara do Concelho. E da forma como essa “cara” é vista no Terreiro do Paço depende a forma como o Concelho é tratado. Ainda restarão dúvidas a alguém?

Cada um tem a sua forma de se exprimir. Suave ou agressiva; tímida ou frontal; circunspecta ou satírica. Todas diferentes, todas aceitáveis. Se não acreditem perguntem a Rafael Bordalo Pinheiro! Ou porventura acham que o homem exagerava?



Acabo de ouvir na TSF que Fátima Felgueiras se esqueceu do passaporte Brasileiro no Brasil… O que acham que o País pensará disso? E vocês, (o que) pensam?

Resultados Barómetro

Com base no «Barómetro Felgueiras 2005» os resultados à pergunta: «Como considera o desempenho da autarquia?» foram os seguintes:
Muito Bom: 17% Bom: 9% NS/NR: 9% Negativo: 56% Muito Negativo: 10%
(pois, eu sei que a soma dos parciais dá 101, mas o que querem, é a informática senhores. Apenas copiei os resultados.)

domingo, março 19

Liberdade de expressão e, responsabilidade na expressão!

Muito se tem discutido nos últimos tempos a liberdade de expressão. Se quisermos efectuar um esforço e retroceder no tempo, encontramos alguns pontos marcantes, como são os casos: “Marcelo Rebelo de Sousa; “cartoons de Maomé”; “Jornal 24 horas”.

Vem isto a propósito do último post do Dr. Paulo Ribeiro neste blog, que me levou a reagir negativamente quanto à forma e conteúdo. Posição que aliás continuo a reiterar. Isto porque para mim, a liberdade de expressão, seja qual for a circunstância e a instância (jornal, blog, órgão autárquico), implica pelo menos tantas responsabilidades, quantos deveres.

Embora num blog não se possa falar do conceito de Estatuto Editorial, deve existir neste meio de comunicação, que muitos já consideram verdadeiros órgãos de comunicação social (com características muito próprias), Códigos de Conduta. E este guia torna-se importante sobretudo em blogs colectivos em que estão representadas várias sensibilidades.

Neste Felgueiras’2005, reconheço implicitamente um Código de Conduta de abertura, de crítica (concordante ou discordante), de discussão, mas também de elevação. E é por aqui que pauto a minha colaboração.

Retornando às liberdades em que tinha colocado um parêntesis, eu permito-me concordar ou discordar, mas com base em fundamentos, não necessitando de me refugiar em insinuações vazias, que servem apenas para lançar ruído na discussão.

sábado, março 18

Minh'Alma s'Espanta...

Acabo de apagar o Post que iria colocar para esclarecer o meu Post anterior.
Apaguei-o porque parece-me não haver nada a esclarecer. O Post é claríssimo.
Felgueiras existe, mas não no mapa de quem manda.
A Imagem de Felgueiras, por esse país fora, é a imagem da sua Presidente e do drama que a persegue (que se transformou num drama para a Terra).
Ninguém, fora de Felgueiras, quer saber se Felgueiras está inocente ou não. Já fomos crucificados pela "opinião pública". E até já se escreveram livros que falam do "Capitalismo Felgueirense", onde somos retratados como um bando de ladrões, burlões, etc.
Enquanto não se lavar a imagem de Felgueiras esqueçam qualquer investimento Estatal.
Enquanto Fátima Felgueiras for Presidente - e repito, culpada ou não - paira sobre Felgueiras o anátema que sobre ela se abateu.
Parece-me não ter "rebaixado" o nível da discussão e muito menos atacado pessoalmente ninguém. De notar que a fotomontagem a presentada é do arioplano. E apenas lanço um explicação simples para o "abandono" a que Felgueiras foi votada.
Pululam milhentos de textos, cartoons, fotomontagens de e sobre Fátima Felgueiras na net. Exemplifico apenas com alguns que visito com alguma frequência: Fumaças, A Blasfémia, Plásticos, Marretas, Jumento, Inépcia, etc coisa&tal.
Quanto à preocupação do Dr. Hélder Quintela, não se preocupe! Nunca estivemos do mesmo lado da barricada e muito menos o creio estarmos agora. A mim não me interessam os cargos ou os lugares. Sou um reformado da Política. Convicto e Orgulhoso. E compreendo que me posso dar a luxos - politicamente falando - a que o Dr. Quintela ainda não pode como, por exemplo, falar livremente.
A todos, um bom fim de semana e, por favor, não se melindrem com tão pouco!
Como membro fundador deste blogue, mas não dono do mesmo, considero útil aqui fazer um comentário na sequência da posta anterior do meu amigo PCR, não querendo desde já que seja visto como «lápis azul», que obviamente não sou.
Este blogue foi idealizado, por mim, com a finalidade de promover uma discussão útil, positiva e pluralista de Felgueiras. Através do convite que enderecei a várias pessoas, de vários quadrantes políticos, tento promover uma saudável discussão sobre os temas em debate, vistos por vários prismas. Com maior, menor ou nenhuma participação de alguns, o objectivo foi sempre ter um debate com elevação.
Claro que algumas pessoas, com um feitio mais «brincalhão» (é assim que entendo) postam uns grafismos mais ou menos anedóticos que podem ofender os visados ou outras personalidades. É claro que cada um é responsável por aquilo que escreve (por isso é que aqui não há espaço a anónimos, só nos comentários), mas é vantajoso para todos, que o bom nível de debate que aqui se criou, seja mantido. Claro que, como já escrevi, a opinião de um não é a opinião do todo.

quinta-feira, março 16

Felgueiras não existe

«Felgueiras tem um défice enorme de investimento público, e por esse facto a administração central não pode continuar a fazer de conta que Felgueiras não existe.» Esta constatação, naturalmente realista, foi escrita no blogue A Rosa pelo Dr. Inácio Lemos, líder do PS Felgueiras. Mais do que fazer estas afirmações já pensou, por acaso, porquê?

Baralha e torna a dar! (II)

O post de SMartins foi gerador de discussão e de contra-informação. E tudo isto porque estas eleições para a concelhia do PS/Felgueiras se revestem de enorme importância: após um período bem longo de lideranças fortes, a última das quais da Dr.ª Fátima Felgueiras, o Partido atravessa claramente um período de orfandade que se prolonga desde a altura em que se procurou viabilizar uma lista de consenso e que, conduziu a esta situação.
Muitos poderão questionar-se se perante esta situação não se deveriam unir esforços para reunir interesses e motivações numa lista única? Na minha opinião: não. Este tem que ser um momento de ruptura: de pessoas, de ideias, de projectos. E tem que ser um momento de debate entre as ideias e projectos que estarão em confronto. Tudo indica que serão dois: um resultante da fusão de dois projectos (Inácio Lemos e Luiz Simões) e um outro liderado por Eduardo Bragança. Ao que consta alguns dos notáveis com credibilidade dentro do partido estão ao lado da lista EB, e interessante será verificar o posicionamento dos autarcas locais eleitos em listas do PS. Também não acredito aqui que viabilizem por si só uma candidatura alternativa.

quarta-feira, março 15

Serviço Público

Pode a Rádio Felgueiras colocar sff., no ex-blogue, ou na nova página, a programação semanal? É que ando sempre à nora para encontrar as notícias e programas de informação sobre Felgueiras. Este blogue também está disponível para prestar esse serviço público. Obrigado.

segunda-feira, março 13

baralha e torna a dar

Nesta fase, a quinze dias das eleições, os pré-candidatos no terreno são:
Inácio Lemos, Eduardo Bragança, Luís Simões e Edgar Silva. Pelo que me é dado perceber alguns deles ocupam o mesmo espaço dentro do partido pelo que desistências são altamente prováveis de forma a criar uma lista ganhadora.

Comentários...

Juro que às vezes que me custa perceber se alguns não percebem, não querem perceber ou, simplesmente funcionam a remoque de outros, e depois quando estão perante o abismo e têm necessidade de dar um passo para se manterem próximo do poder, dão um passo em frente.
A propósito de poder, esta semana Daniel Oliveira escreveu no Expresso "... a chegada ao poder não tem, nunca teve e nunca terá nada a ver com mérito mas com as condições da luta pelo poder. Chega ao poder quem já tem poder.".
Não sentido nenhuma necessidade de o fazer, mas pela última vez, venho reforçar que acreditava e dentro das minhas possibilidade tudo fiz para que o projecto liderado pelo Prof. José Campos saísse vencedor das eleições autárquicas. Não o foi, porque entre outras coisas, os titulares de cargos não souberam interpretar o sufrágio que determinou que seria o Prof. José Campos em detrimento do Dr. Inácio Lemos o candidato à autarquia, e preferiram lutar por outras causas. Promovendo lutas e/ou apoiando outros movimentos.
Agora renunciar ao mandato na AM significa precisamente o contrário daquilo que alguns tentam fazer crer, enviesando o que é claro. Significou a minha discordância com a orientação política da direcção da bancada parlamentar, entregue aos Presidentes de Junta eleitos pelo PS.

Já agora: gostava de ver quem está a assumir e/ou apoiar candidaturas à concelhia não ter as suas baterias apontadas a comentários de opinião, mas sim a promoverem a discussão e diferenciação de modo a que os militantes percebam o que está em jogo, e quem é quem...

Barómetro Felgueiras 2005

Já consegui arranjar espaço para colocar o barómetro na barra lateral, para que fique sempre acessível.

sexta-feira, março 10

PSD expulsa militantes

O PSD segundo as notícias mais recentes já tomou medidas quanto aos membros do partido que violaram os estatutos, integrando listas oponentes às do PSD nas eleições autárquicas. E ao que parece o número ronda os 250 militantes.

Questiono-me é qual a posição da CP do PSD/Felgueiras quanto aos eleitos que contribuíram para que o líder do partido não fosse eleito Presidente da Assembleia Municipal, e a posição de eleitos em listas do partido e parte deles militantes que não cumprem disciplina partidária?

Muito se tem falado do PS/Felgueiras mas, enquanto este partido está em processo de retomar o seu caminho com maiores ou menores dificuldades, o PSD/Felgueiras parece viver ainda tempos de indefinição.

quinta-feira, março 9

Eleições - quem é quem! (Parte II)

Uma das questões importantes é saber quem é que tem condições objectivas e morais para poder ser candidato à concelhia do PS. Este tema das condições morais foi muito debatido nas últimas autárquicas e não gostaria de ver agora contradições. Mas tal como em muitas outras situações recentes não me custa acreditar que irão acontecer.

Quanto às condições objectivas, ou seja, estar segundo os estatutos habilitado na sua condição de militante, presumo que por aí "o gato não irá às filhozes", que é sinónimo de que ninguém deixará de ser candidato nem exercer o seu direito de voto...

Penso que se o actual líder da concelhia eventualmente protagonizar uma candidatura não tem condições (pelo seu boicote à candidatura legítima do PS nas eleições autárquicas marcada inclusivamente pelo recurso aos tribunais civis) e que os membros da JS também não (pelo apoio ao boicote protagonizado pelo líder da concelhia e pela aproximação à Dr.ª Fátima Felgueiras).

Mas isso certamente que agora não é importante. Embora queira reafirmar a importância destas eleições para a revitalização/refundação do PS em Felgueiras. O PS ficou orfão e não foi capaz ainda de encontrar um rumo, mas necessita como partido de referência em Felgueiras de recuperar o seu estatuto e credibilidade perante os felgueirenses, para que possa efectivamente ser um partido que contribua para o desenvolvimento integral do concelho, como o fez ao longo dos anos de poder autárquico no nosso País.

quarta-feira, março 8

Eleições – quem é quem

Era interessante perceber nos putativos candidatos quem é quem, e as suas equipas. Ou seja, era interessante saber quem é que este executivo municipal apoia nesta eleição.

terça-feira, março 7

... É a vida!

Não sou daqueles que gosta de ter razão antes do tempo. E também não gosto de subterfúgios e desonestidade intelectual.

O actual estado do sistema político-partidário em Portugal leva a que muitas vezes os políticos pensem, no refúgio mais secreto das suas mentes que exceptuando a classe predestinada para ocupar lugares nos partidos, e ligada a pequenos círculos, que todos os outros meros mortais possam ser mentecaptos.

Todos os políticos devem pensar antes de mais que o valor mais importante é a honestidade, aqui no seu sentido mais lato. Mas, desejos ardentes de show off e presença constante na TV, na rádio e nos jornais, levam a que quando não querem ainda assumir posições, e para não se refugiarem no comentário típico do "Não comento" ou "Não quero falar", porque isso seria ignorado nas edições dos media, idealizam discursos e frases que além de vazias, são intelectualmente desonestas.

Isto tem acontecido repetidamente em todos os níveis da vida política partidária, independentemente da geografia, do partido, das instâncias...

... É a vida!

Expresso de Felgueiras

Sai no final deste mês, princípio do próximo, o número zero do jornal quinzenal «Expresso de Felgueiras». É um projecto ambicioso que integra jornalistas com grande experiência na imprensa local e nacional. Define-se como um projecto pluralista, independente (é o primeiro título de Felgueiras liderado por pessoas sem ligações partidárias) e com um objectivo definido: fornecer boa informação independente, dando voz à pluralidade de opiniões e recorrendo a um grafismo moderno e boa qualidade de impressão.
Em breve numa banca perto de si.

segunda-feira, março 6

PS Felgueiras vai a votos

No próximo dia 31 de Março o PS Felgueiras elege os novos orgãos locais. Para já é conhecida a candidatura de Eduardo Bragança à Comissão Política embora outras candidaturas - naturais -sejam avançadas, como a do actual presidente Inácio Lemos, que entretanto disse à RF que «para já», não é candidato.

sábado, março 4

Zona Industrial de Várzea

A Autarquia de Felgueiras parece (e já vão perceber porque escrevo parece) empenhada na conclusão da Zona Industrial de Várzea (ZIV) ou Zona de Acolhimento Industrial de Várzea (ZAIV).
O projecto da ZIV tem mais de vinte anos de projecto de intenções e nesses mais de vinte anos a autarquia foi sempre deixando-o para trás. Não era considerado prioritário e acima de tudo o investimento privado dos nossos empresários foi resolvendo os problemas com a ajuda e benesse da autarquia quando eram edificadas instalações industriais de considerável dimensão em zonas que o PDM não permitia. Não foi estabelecido qualquer critério, feito qualquer estudo para saber como adequar esta ZIV às necessidades do concelho. Mas agora vem a parte pior. A autarquia decide avançar com expropriações dos terrenos e construir as infraestruturas mas sem qualquer estudo e plano para a ZIV. Mais, o projecto está tão desorganizado que após a tomada de posse do novo executivo municipal, e numa fase de conclusão, este foi indicado como sendo capaz de receber um parque tecnológico (talvez numa tentativa para agradar ao Primeiro-Ministro, que é, como se sabe, Secretário-Geral do PS, partido onde a Presidente de Câmara já militou). Mas para além desta já dramática situação que espelha bem o funcionamento da autarquia, importará esclarecer várias coisas para bem do concelho.
Primeiro, que tipo de actividades comerciais ou industriais deseja a Autarquia aí instalar (não é de admitir que todas).
Segundo, que tipo de comercialização dos lotes para indústria/armazém, pretende a autarquia. Ou seja, pretende expropriar os proprietários dos terrenos e depois vender a preços atractivos os lotes a empresários que efectivamente instalem as suas indústrias no concelho, ou por outro lado vai deixar os privados, vender ao preço de mercado (legitimamente) os lotes, afastando assim aqueles que, em concorrência com outros concelhos, cá pudessem investir? – há também necessidade de esclarecimentos quanto aos parceiros e financiadores do negócio.
Terceiro, que tipo de apoios estão contemplados para os investidores.
Será que este executivo municipal pretende, assim como fez com os investidores que compraram lojas no centro coordenador de transportes – um projecto comercial absolutamente falhado -, «ludibriar» (é como eles se sentem) os investidores?
Acho que são necessários esclarecimentos acrescidos e transparência neste projecto.

quinta-feira, março 2

Que oposição?

A autarquia de Felgueiras necessita de uma oposição forte. Mas com que tipo de «força»? Aquela de critica todas as iniciativas do executivo e está sempre contra tudo? Não, definitivamente não. Aquilo que Felgueiras necessita é de uma oposição que marque a agenda. Que tome a iniciativa, que indique o que está mal e a sua solução. Que leve o Executivo Municipal a discutir os pontos que têm interesse no concelho. Que seja uma Oposição pró-activa e que não apareça apenas nas eleições (afirmação injusta mas legítima, aos olhos do munícipe). Acima de tudo a Oposição deve ter uma estratégia de comunicação e já deu para perceber que a mensagem não passou e continua a não passar para os munícipes e eleitores.
Já agora, uma pergunta. Da Oposição faz parte o PS que, assim como o PSD, foi derrotado nas eleições autárquicas?