terça-feira, novembro 23

Praça Dr. Machado de Matos

Em reunião de câmara, do passado dia 3 de Novembro, ficou decidido a abertura do concurso público para a construção do “Praça Dr. Machado de Matos - Parque de estacionamento” pelo valor de 3,505 milhões de euros, conforme projecto do Arqº Siza Vieira. O mesmo está inserido na candidatura “Promoção de operações integradas em zonas prioritárias de regeneração urbana” do Programa Operacional do Norte – ON.2 – O NOVO NORTE, aprovada (ou pelo menos iniciada) ainda no anterior mandato (para não aparecerem aqui os reivindicadores do costume, fica já esclarecido).

Já não era sem tempo que a Praça Dr. Machado de Matos vê as obras arrancarem. Seria importante, na minha perspectiva, saber o real custo do projecto de arquitectura e afinal se havia, ou não, valores por liquidar ao Arqº Siza Vieira.

10 comentários:

Armindo Mendes disse...

Esta obra é uma candidatura do anterior executivo municipal, por muito que custe aos que, como eu, de alguma maneira, contribuíram para a mudança política neste concelho.
Porque, um ano depois, ideias novas, projectos inovadores que marcassem uma ruptura com o passado e muito menos obras gizadas pelo novo poder, para já constituem apenas uma miragem.
Outras bem avançadas, que transitaram do passado, vão marcando passo de uma maneira confrangedora. E pelo andar da carruagem manter-se-ão encalhadas nas teias de um certo "secretismo" que tarda em abrir-se a uma lufada de ar fresco, desapontando quem neste poder depositava fundadas expectativas quanto à capacidade empreendedora.

Bruno Carvalho disse...

Sobre esta matéria, não sendo o mais importante, é sempre bom que saibamos de quem é o mérito deste projecto e obra.

Mas será também bom saber, que 3 dos elementos do actual executivo da maioria da NE, numa Assembleia Municipal votaram contra a compra dos terrenos necessários para a realização da obra por entenderem não ser prioritária esta obra.

Tinham agora uma oportunidade ser coerentes...

Para mim não é novidade nenhuma a falta de coerência demonstrada em tão pouco tempo, depois de passar da oposição para o poder...

Novos desenvolvimentos ficarão aqui para breve...

smartins disse...

Julgo que quanto à iniciativa (acho que mérito, quando se trata de serviço público - portanto um dever de servir o melhor possível as populações - não é a palavra mais indicada) ficou bem claro no meu post a autoria do MSP. Quanto à questão financeira, por acaso, não me quer responder?

Armindo Mendes disse...

Não faz sentido continuarmos focados no passado autárquico e as suas contradições para justificarmos recorrentemente a aparente inacção do presente, essa sim credora de reparos.
Os que estiveram mal no passado já foram, e bem, penalizados nas urnas.
Todos os felgueirenses, sem excepção, têm hoje direito a uma governação diferente da que suportaram no passado.
Por isso disseram que queriam mudar de políticas, de protagonistas, pondo termo a um ciclo de arrogância.
São os detentores do poder, agora, que não se podem escusar a serem escrutinados pela opinião pública a cada dia que passa.
Em democracia é assim…

smartins disse...

Com toda a certeza Armindo, que este é o executivo que deve ser avaliado. Agora, não se pode vir para aqui dizer que a obra é do anterior executivo (nas coisas boas) mas depois quando se questiona sobre as más (alegadas dívidas, projectos mal concebidos, etc.) já não faz parte do tema. Se há mérito no que foi feito, há, também, responsabilidades que devem ser explicadas.

Armindo Mendes disse...

Mantenho o que disse. Houve erros no passado, sem dúvida.
Mas, esses politicamente, e ainda bem, já foram castigados nas urnas de forma clara e no meu ponto de vista justa.
Agora há que, numa linha de coerência, pedir responsabilidades a quem está investido pelo voto popular da função de governar os nossos destinos.

smartins disse...

Estamos a falar de 'coisas' distintas: a) o reconhecimento que o projecto é de autoria de outros b) a responsabilização pelos 'erros e omissões' desses mesmos projectos c) a responsabilidade do actual executivo e a sua avaliação por tudo o que faz, incluindo a gestão dos projectos que transitaram do anterior mandato.
Não está em causa não fazer a avaliação deste executivo. Apenas neste post, não era isso que eu estava a focar a discussão.

Armindo Mendes disse...

Permite-me discordar caro Sérgio. Numa óptica política, ao ler o dito post, fica-se com a ideia recorrente que, mais de um ano após as eleições, ainda procuras invocar os erros do passado para “balsamares” o que (não) se vai passando no presente…
Repito: as nossas energias devem focar-se no presente e sermos coerentes. Não podemos criticar a incapacidade dos que no passado nos governaram e agora fazermos de conta que não se passa nada face ao poder presente que tarda e tarda e “retarda” em provar por A+B que a mudança valeu mesmo a pena e que a expressão “Nova Esperança” não passa afinal de um slogan...

smartins disse...

Caro amigo Armindo,
Percebo a tua premente questão. E não fujo dela. Podemos generalizar quando assim entenderes, mas neste post falo apenas da abertura de um concurso para uma Praça que toda a gente concorda que já devia estar pronta, graças aos fundos obtidos pelo anterior executivo e solicito, enquanto munícipe alguns esclarecimentos de questões que vieram o público e noticiadas por vários órgãos de comunicação social.Quanto a "balsamar" o que quer que seja. Melhor que ninguém, conheces as minhas posições. Nunca, em momento algum, abdiquei de expressar a minha opinião, mesmo contra o meu partido. Logo que tomaram posse expressei muitas das minhas discordâncias, como continuo a fazer, aliás. Por isso não percebo a "questão" à volta deste post.

Armindo Mendes disse...

Caro Sérgio, conheço-te há muitos anos e respeito-te muito, como sabes.
Neste assunto não estamos de acordo, mas isso não tem importância porque sabemos respeitar as opiniões divergentes de um e outro.
Grande abraço amigo!