segunda-feira, julho 31

Chateado, Muito Chateado (II)

No seguimento do meu post de 29 de Maio de 2006, com o mesmo título deste, o vereador Bruno Carvalho sentiu-se ofendido pelo termo "Varredor" por mim utilizado (como evidente trocadilho com a palavra "Vereador").
Quem me conhece, ou lê aquilo que escrevo na Net, sabe que nunca ataquei ninguém pessoalmente nem pretendo de todo denegrir a imagem ou dignidade de quem quer que seja. Lamento que, neste caso, o vereador Bruno Carvalho assim o tenha entendido e garanto que tal não foi a minha intenção.
Os blogs são um espaço de liberdade e de debate público. é assim que eu os entendo e será assim que neles continuarei a publicar textos. Com o meu estilo (que, bom ou mau, é o único que tenho!); E sem temor algum.
Da minha parte, e tendo clarificado que nada me move contra o vereador Bruno Carvalho e que jamais me passou pela cabeça atentar contra a sua dignidade e imagem, publica e privada, considero a presente situação sanada e terminada. Julgo que o vereador Bruno Carvalho também.

domingo, julho 30

Entrevistas a não perder

«Caldas Afonso em entrevista ao EXPRESSO DE FELGUEIRAS»

ZAEV

A propósito da votação do PSD na última assembleia municipal relativamente à proposta da SA para a Zona Empresarial de Várzea - se votação se lhe pode chamar-, no blogue "Diário de Felgueiras", postou o seu autor em 30/07/2006, a seguinte parte do texto (passo a transcrever já que não sei linkar):
"O PSD/Felgueiras, neste momento, é um partido a duas, três, quatro… e trinta vozes.
Que os vereadores Afonso e Lima tinham votado a favor da proposta da SA para a Zona Empresarial de Várzea já todos o sabíamos! O caricato foi o facto de Francisco Cunha, líder da Concelhia, contrário à decisão dos vereadores do partido, ter ido de férias e deixar a faculdade de recomendação de voto em Eduardo Teixeira. Este, em entrevista à Rádio Felgueiras, diz “raios e coriscos” da proposta, mas chega à sede, na reunião com os autarcas, confrontado por estes, acha que seria melhor que todos se abstivessem. Mas, mesmo assim, deixa para a última hora, a três minutos de começar a AM, a decisão final: “É abstenção, é abstenção!...” – dizia em murmúrio, na sua bancada parlamentar. E mais: Eduardo Teixeira mal sabe que, durante toda a tarde de sexta-feira, um vereador do PSD andou a telefonar a vários presidentes de junta a pedir para votarem a favor.
De resto, Eduardo até fez uma intervenção brilhante.
"
Daquele artigo apenas quero questionar a veracidade da afirmação que se transcreve: "E mais: Eduardo Teixeira mal sabe que, durante toda a tarde de sexta-feira, um vereador do PSD andou a telefonar a vários presidentes de junta a pedir para votarem a favor".
A ser verdade que um vereador do PSD (e, a ser verdade, facilmente advinhamos quem terá sido) andou a telefonar a vários presidentes de Junta para votarem a favor, numa altura em que o líder da bancada do PSD na A.M. está ausente em férias, e que os telefonemas foram efectuados sem o conhecimento do líder presente, Eduardo Teixeira, (como parece depreender-se do facto de no momento da votação este ainda estar a transmitir a posição oficial de abstenção (?) aos colegas de bancada), então definitivamente este PSD que já estava arrumado como oposição, trata agora de espetar a dita nas costas do líder ausente e do substituto distraído.
Assim, para que dúvidas não subsistam, se é que alguém ainda tinha dúvidas, concluo que não obstante a expressão da votação do PSD nas eleições autárquicas e o uso do método de Hondt, a verdade mesmo é que o PSD não "meteu" um só vereador.
O PSD pensa que "meteu" dois, mas pelo andar da carruagem enganou-se.

Há quem responda? *

A quem respondem os autarcas? A ninguém. Passamos os trinta anos que medeiam a data da Revolução de Abril até aos presentes dias a dizer e a escrever que os autarcas são o pilar da Democracia. São, de facto, aqueles cujas decisões mais depressa se repercutem no quotidiano dos cidadãos e enquanto as decisões de um ministro ou secretário-de-estado, demoram por vezes semanas, meses e em alguns casos mesmo anos a chegar ao cidadão, com os autarcas a grande maioria das decisões tem repercussões imediatas. Mas, enquanto governantes e Governo respondem perante a Assembleia da República e Presidente da República, um autarca não responde perante basicamente ninguém. Neste momento os autarcas dão-se ao luxo de incluir cláusulas nos contratos de apoio às colectividades «inibidoras» (para usar um termo suave) de quaisquer críticas à gestão autárquica. Temos ainda outros que incitam o apedrejamento de quantos fiscais ambientais e outros «obstáculos» ao desenvolvimento que apareçam lá pela freguesia. Tudo isto é feito de maneira mais ou menos encapotada, sem que se levantem ondas maiores. Por cá, como por lá, as coisas não são diferentes. Sistematicamente os autarcas concelhios, avessos a criticas – longe com elas! – procuram por todos os meios, primeiro, passar despercebidos, depois não podendo evitar a notícia, a proceder ao já famoso branqueamento das situações. Branqueamento é o que o que está a tentar fazer o vereador Dr. Bruno Carvalho, ao assunto do Estádio Municipal Dr. Machado de Matos. É sabido – porque era visível - que depois da prova de Freestyle aí realizada, o relvado ficou bastante danificado incluindo o sistema de rega e drenagem. Não obstante o facto de os partidos da oposição terem solicitado esclarecimentos, públicos e na Assembleia Municipal, assim como os vereadores na oposição, o vereador responsável não responde concretamente. Não diz o que está danificado, como foi danificado e quanto custa reparar ou substituir os danos causados, mas principalmente como vão ser apuradas as responsabilidades e quem vai pagar. Este processo é um dos exemplos do autismo auto-imposto pelo qual alguns autarcas optam. É pena que o façam e é pena também que os eleitores tenham, na sua esmagadora maioria, memória curta.

Realiza-se amanhã, 22 de Julho, a edição 2006 da «Descalço – Moda e Estilismo de Calçado». Com organização em parceria da Escola Profissional de Felgueiras e a Câmara Municipal terá, este ano, muito mais representantes da indústria de calçado. Esta é, uma boa iniciativa. Permite promover o que de melhor se faz, os técnicos da área recém-formados e apresentar ao mercado novas tendências, moda e desenvolvimento tecnológico. Numa altura em que existe uma crise generalizada da economia e o sector do calçado não foge à regra, importa promover o nosso produto da melhor maneira e esta é uma delas.

[*Sérgio Martins no Expresso de Felgueiras - 21/7/6]

sexta-feira, julho 28

Há impugnações e impugnações

Há umas que têm destaques especiais, uma, duas vezes e outras, nem um. Há gatos mais difíceis de esconder do que outros, e impugnações também.
[adenda] Os links desta posta, direccionados para o blogue «Diário de Felgueiras», não estão a funcionar em virtude do seu editor / autor, os ter retirado de publicação, como ele próprio refere.
[Esclarecimento] Meu caro JCP. Nenhum de nós está acima de qualquer critica (sou aqui criticado praticamente todos os dias, assim como noutros blogues) e o facto de ser jornalista também não o isenta de ser objecto de critica. Mas há aqui uma substancial diferença. Eu escrevo e assino por baixo. Não veja nas minhas opiniões qualquer perseguição, apenas pretendo promover um debate, que pelos vistos não está habituado a fazer. Gosta apenas de emitir as suas opiniões sobre os outros, sem contudo aceitar as opiniões dos outros sobre si. Acha que são injustas, pois bem, refute-as com válidos argumentos e não apagando as postas. Já agora. A opinião que eu manifesto sobre uma opinião de uma leitora, não deixa de ser a minha opinião, que deve ser respeitada e é tão válida como todas as outras. Por fim, o que eu aqui pretendi destacar foi o facto de apenas destacar «umas» impugnações em detrimento de «outras», mas se não for verdade, cá estarei para me redimir da minha opinião…

Baixa

Só hoje me apercebi que há mais uma baixa na blogosfera felgueirense. Os jovens do «Não acreditem em tudo o que vos ensinam…» decidiram acabar e apagar o blogue. Já há novo endereço ou é definitivo?

Lá que há coisas estranhas, há

A propósito dos escritos de uma simpatizante do PSD, oferece-me dizer que é de facto lamentável que o PSD Felgueiras não tenha dado continuidade ao processo de impugnação da deliberação sobre as taxas de IMI numa tristemente célebre AM. Mas é no mínimo caricato que o dito «simpatizante», peça agora a demissão do presidente da CP, por este caso, quando defendeu a sua permanência depois deste perder a eleição para a Mesa da AM. São prismas diferentes, mas lá que é estranho, é. A não ser...

A ler

«A participação da autarquia com capital minoritário numa SA é ilegal, segundo a nova legislação» no DF

quarta-feira, julho 26

ZAEV

Na próxima AM extraordinária, um dos pontos em debate será a criação de uma sociedade anónima para gerir a Zona de Acolhimento Empresarial de Várzea (ZAEV). Já em 4 de Março deste ano escrevi, face ao que se conhecia na altura, que é necessário ter algumas cautelas e estudar bem este dossier.
Por aquilo que é agora do conhecimento público, a Autarquia, tem um parceiro privado (Mota-Engil) para este projecto que prevê um investimento total de cerca de 25 milhões de euros, sendo o parceiro financeiro o Finibanco SGPS Holding. Uma vez que existe a necessidade de um parceiro privado no negócio, a estrutura jurídica da sociedade gestora da ZAEV teria que ser uma sociedade anónima (SA), ficando de lado uma empresa municipal (EM). A estrutura accionista seria Mota-Engil 51%, CMF 10% e 39% Outros Privados. Para mim, mais importante que a forma jurídica da sociedade é o tipo de gestão e que objectivos tem a autarquia para a ZAEV.
Aquilo que ainda ninguém sabe é como é que este projecto vai conseguir atrair investidores para Felgueiras. Qual a forma prevista para a comercialização e que contrapartidas estão previstas para os investidores. Claro que já estou a imaginar que na AM, a Presidente de Câmara (sim, porque num projecto desta dimensão não será o vereador a dar as explicações), a dizer que o que está em causa é apenas a criação da sociedade o «resto», que é «tudo», será objecto de estudos posteriores e que todas as preocupações serão salvaguardadas. Mas, atendendo a que entidades privadas gostam de lucros e estão no projecto para isso, não levantará a sociedade accionista maioritária, obstáculos a objectivos bem mais importantes neste momento do que apenas o lucro?

terça-feira, julho 25

Baixa nos colaboradores

Por manifesta falta de tempo devido a questões profissionais o colaborador deste blogue, Pedro Geraldo, decidiu encerrar aqui a sua colaboração no Felgueiras 2005.
A mim, resta-me agradecer-lhe as postas e a disponibilidade, na certeza que quando achar que tem condições para voltar a porta está aberta.

segunda-feira, julho 24

Assembleia Municipal Extraordinária

Para esta A.M. extraordinária e dos cinco pontos da ordem de trabalhos, destaco os dois primeiros que tratam da «Carta Educativa de Felgueiras» e da criação de uma sociedade anónima para gestão da ZAEV.

Assembleia Municipal - retirada do ponto da O.T.

Na última Assembleia Municipal, o líder da bancada do MSP, Dr. Lemos Martins, afirmou (segundo o EF 7/7/6 p:3) que iria impugnar a A.M. por ter sido retirado, ilegalmente, um ponto da ordem de trabalhos da votação (compra do imóvel atrás da Câmara).
Segundo o nº 3 do artº 11 do Regimento da Assembleia Municipal de Felgueiras:
«Nas sessões ordinárias a ordem do dia pode ser alterada desde que pelo menos dois terços do número legal dos membros da assembleia assim o deliberem. »
Mas como eu não sou jurista, é ilegal ou não?

Apenas para que conste - VI

Continuamos a aguardar, serenamente, a divulgação dos resultados do relatório de vistoria efectuada, com quantificação dos prejuízos financeiros, ao Estádio Municipal Dr. Machado de Matos, pelo vereador Dr. Bruno Carvalho, responsável pela área do Desporto.
[Nota] Começaram a «circular» algumas informações sobre este processo, nomeadamente que a Autarquia já teria emitido uma factura no valor dos prejuízos para os organizadores pagarem, informação essa não confirmada por quem quer que seja. Entretanto a Autarquia informa o PSD, verbalmente, que não entrega as cópias solicitadas da documentação deste processo porque «é confidencial» (??).

News

«Entrevista com José Campos» no Expresso de Felgueiras
«PSD acusa câmara de arrogância e autoritarismo» no Expresso de Felgueiras
«José Campos regressou» no Semanário de Felgueiras
«Silêncio grave da IGAT » n’ O Primeiro de Janeiro
& a opinião de Hélder Quintela - «Parabéns!», Inácio Lemos - «A Razão da Oposição» e Sérgio Martins - «Há quem responda?»

sexta-feira, julho 21

Aos jovens socialistas

A vossa resposta à minha posta, não acrescenta nada de novo ao que eu escrevi, aliás, reforça com ainda mais argumentos.
Saber ou não, previamente, o conteúdo do que vai ser discutido interessa apenas para avaliar o resultado da reunião. Eu explico. Se tornarem público que pretendem discutir cinco assuntos com o vereador e trouxerem cinco respostas/soluções é um sucesso, se for apenas uma é um fracasso. Não revelar agora, permite depois fazer do insucesso um sucesso estrondoso e daí colher os tão almejados dividendos, certo? Quanto ao facto da JS incomodar muita gente. Só se pretendem incomodar o vosso próprio partido porque não vos estou a ver a incomodar a Presidente de Câmara que vocês apoiaram na campanha eleitoral, contra o vosso próprio candidato, mas isso é outra história. Aguardaremos então o resultado de tão propalada reunião.

«Expresso de Felgueiras»

Já está online o site do «Expresso de Felgueiras»

Digam lá outra vez...

Depois da JS Felgueiras ter decidido continuar o seu mandato sem clarificação da sua situação (legitima, mas politicamente incorrecta), vem «acrescentar» ao debate algumas medidas que pretendem tomar, dizendo:
«Além de termos começado a delinear a nossa agenda para depois das férias, foi aprovado um pedido de audiência com o vereador da Juventude, Dr. Bruno Carvalho, para a JS Felgueiras exprimir o sentimento dos jovens, pedir algumas justificações em relação a determinados assuntos, para lutar e pedir um melhor futuro para os nossos jovens.»
Dizer isto é o mesmo que nada dizer. A não ser que a único objectivo desta singela declaração seja dizer que estão vivos, moribundos, mas vivos. Sou da opinião que a JS deve (uma vez que assim quis) marcar o seu espaço político. Talvez por isso tenha solicitado um pedido de audiência ao Vereador, Dr. Bruno Carvalho, para exprimir «o sentimento dos jovens», «pedir algumas justificações em relação a determinados assuntos» e por fim «lutar e pedir um futuro melhor para os nossos jovens».
Mas estas declarações são perfeitamente fúteis e inócuas quando não divulgadas publicamente, ou então denotam coisa pior, os vícios dos «seniores» a atacarem os «juniores». Ou seja, não divulgar o que se vai pedir, que justificações e que assuntos permite que qualquer que seja o resultado da reunião (que vai ser zero) sempre se cante vitória pelo facto de mostrarem movimento aparente. Por outro lado, dizer exactamente o que se pretende, que assuntos e que respostas pretendem, é elevar a fasquia, fazer uma oposição responsável e mostrar resultados. Mas como aquilo que a JS pretende é tudo menos mostrar oposição, siga o «festival»!

quinta-feira, julho 20

TRISTE, TRISTE...

... é ter que aturar incompetentes prepotentes.

News


«Foca conquista o tri» no INFORDESPORTO.PT
«BE reivindica actuação da IGAT» n’ O Primeiro de Janeiro
«Parte da vila de Barrosas sem água há três dias» no JN

Serviço Público

Na sequência do debate público "Felgueiras - que Saúde", promovido pelo Núcleo Concelhio do Bloco de Esquerda de Felgueiras, desloca-se de novo ao nosso concelho - desta vez a convite do Senhor Director do Centro de Saúde de Felgueiras - o Médico e Deputado eleito pelo circulo eleitoral do Porto, João Semedo para in loco constatar as condições da saúde pública que é prestada aos utentes do Serviço Nacional de Saúde.
A visita realiza-se no próximo dia 25 de Julho, Terça-Feira, imediatamente a seguir à hora do almoço.
Dadas as circunstâncias das alterações que se vislumbram no sector da Saúde, particularmente no nosso concelho (conforme foi sentido e debatido recentemente no Auditório da Biblioteca Municipal), no final da visita o Dr João Semedo fará, na sua qualidade de deputado eleito pelo nosso distrito, uma declarações aos órgãos da comunicação.

BeFelgueiras /J. Santos Pinho

quarta-feira, julho 19

Leilão de publicidade no Felgueiras 2005

Para os interessados, o Felgueiras 2005 decidiu colocar publicidade directa na sua página. O sistema é simples. Os interessados dispõem de um espaço (banner de 155x55 pixels) que se encontra no menu lateral direito do blogue.
Esse espaço será leiloado mensalmente até às 24 horas do dia 28. A base de licitação será de 5€+IVA e os interessados devem enviar as propostas para o email do Felgueiras 2005 (felgueiras2005@gmail.com). Os interessados que façam a melhor proposta terão a sua publicidade exposta num local de elevada visibilidade, entre o dia 1 e o dia 31 (ou 30) do mês seguinte à licitação. O espaço é licitado todos os meses. O formato é experimental e pode ser alterado e ajustado face às necessidades.

Empate

O resultado da votação «Concorda com o regresso de José Campos» foi:
Sim – 50%
Não – 50%

Publicidade institucional?


Agora a autarquia ajuda a promover entidades privadas? Se não é, pelo menos é o que parece, com esta publicidade ao Versus. Não é que eu não goste do Versus, acho apenas é que não sendo patrocinador, porquê o destaque?

terça-feira, julho 18

Apenas para que conste - V

Continuamos a aguardar, serenamente, a divulgação dos resultados do relatório de vistoria efectuada, com quantificação dos prejuízos financeiros, ao Estádio Municipal Dr. Machado de Matos, pelo vereador Dr. Bruno Carvalho, responsável pela área do Desporto.
[Nota] Mesmo sabendo que não me respondem, eu, munícipe felgueirense e eleitor neste concelho, acho-me no direito de obter uma resposta. Não pelo facto de aqui a pedir, não, apenas pelo facto de enquanto cidadão querer saber a verdade. Esta não é uma questão mesquinha e fútil como poderão pensar alguns. É apenas um muito bom exemplo daquilo que é a falta de responsabilidade, a arrogância de um executivo que exerce o poder com maioria, arrogando-se no direito de não dar explicações a ninguém. Num país em que os ministros vão ao parlamento dar explicações, os autarcas não as dão a ninguém, nem mesmo àqueles que os elegeram. É o que temos… e se calhar o que merecemos.

Com este calor…

Todos os cuidados são poucos. Em caso de ser vítima de um golpe de calor, saiba como proceder.
[Nota] Há sempre muita dificuldade em conseguir saber o grau de risco (seja de calor, incêndio ou mau tempo). Era interessante que a CMF disponibilizasse no seu site, na área reservada à Protecção Civil, essa informação a exemplo do que outros já fazem.

Aviso

Devido a alterações no sistema informático os serviços municipais estarão limitados no próximo dia 19 de Julho, nos serviços de Obras Particulares, Água, Ciclomotores, Resíduos Industriais, Rendas e Feiras e Mercados, assim com no dia 28 Julho dia em que todos os serviços serão afectados.

segunda-feira, julho 17

Ver para crer

Regressando àquela questão da «bancarrota» das finanças municipais, não seria interessante a Câmara Municipal de Felgueiras publicar o Relatório de Actividades de 2005, a exemplo do que fez em relação ao ano de 2004? Lá conseguimos saber, por exemplo, como é que evoluiu a despesa municipal ao longo dos últimos anos. Aí sim, conseguimos comparar e esclarecer várias questões. De quem é a culpa do nível de endividamento da Autarquia? É, apenas, do anterior executivo?
De quem é a culpa do facto de o investimento na Educação em 2001 corresponder a 16,7% da Despesa e em 2004 apenas 1,7%, e de a verba destinada a «Cultura Desporto e Tempos Livres» ser de 9,3%, em 2001 e 3,2% em 2004?
Pequenas questões que podiam ser esclarecidas através da leitura do dito Relatório de Actividades de 2005. Talvez por isso ainda não esteja publicado...

A Ler


Entrevista de Eduardo Bragança ao «Semanário de Felgueiras»

sexta-feira, julho 14

José Campos - Reacções

Ficou claro pelas declarações de Eduardo Bragança à RF, que o regresso de José Campos merece total aprovação da CP do PS e que estes foram ouvidos quanto à decisão. Perfila-se aqui que tipo de estratégia de oposição?
A meu ver, o PS vai fazer uma tentativa, natural, de tomar as rédeas da oposição procurando suplantar o PSD. Para isso vai ter que conseguir marcar a agenda política, tomar a iniciativa e encontrar outro «estilo» e postura nas reuniões de Câmara. É sabido que o ex-vereador Dr. Rui Silva – que viu ser-lhe retirada a confiança política – tomava as decisões nas reuniões de câmara sem qualquer estratégia e cobertura política por parte da CP e por isso o PS tem estado ausente da política felgueirense.
É também importante saber que tipo de atitude vai ter a JS – Felgueiras, agora que o candidato que abandonou e hostilizou regressou. Vão continuar a assobiar para o lado?

Expresso de Felgueiras || Edição online


Está para muito breve a inauguração do sitio do «Expresso de Felgueiras». É já daqui a uma semana.

Sobre o regresso

Sobre o regresso ao combate político do Prof. José Campos, importa também perceber se fez parte de uma estratégia conjunta – vereador e comissão política – ou se foi apenas e só uma decisão pessoal. Pelos dados conhecidos, terá partido de uma posição pessoal, conversando posteriormente com a CP do PS, possivelmente para definir estratégias gerais quanto à forma de fazer oposição. Presumo que este regresso tenha sido uma feliz coincidência para o PS. É que fazer oposição sem vereação transformar-se-ia num erro político lá para o final do mandato, como aliás já tinha escrito, e esta reviravolta alterou tudo. Em todo o caso é necessário esperar pelas declarações de Eduardo Bragança, líder do PS local, para melhor perceber o que se vai passar no futuro.

quinta-feira, julho 13

Última hora


José Campos reassume o lugar de vereador na Câmara Municipal de Felgueiras.

Produções Festivas S.A. *

Depois de alguns anos em queda nas produções festivas do concelho, este ano a Autarquia brindou os seus munícipes e visitantes com mais um S. Pedro recheado de música, desfiles e samba, não nos deixando esquecer que fomos colonizadores e colonizados. De todo o programa, destaco o Cortejo das Flores, pela sua beleza e tradição, capaz de juntar milhares de pessoas, jovens e menos jovens a caminho de Sta. Quitéria. Mas de «pão e circo» o povo começa a estar cada vez mais farto até porque «pão» há cada vez menos. O desemprego continua a aumentar, com previsões de não parar a escalada nos tempos mais próximos, não existe uma tentativa de atrair investimentos para o concelho, com políticas activas e agressividade, nós ainda vamos na fase de estudos, os outros já disputam os investimentos. Não podemos esquecer que nesta era da globalização somos concorrentes directos de todos os concelhos de Portugal na tentativa de aqui instalar investimentos e não noutro concelho qualquer – veja-se a exemplo disso a disputa entre os concelhos de Estarreja, Paços de Ferreira e Paredes para a instalação de uma fábrica da cadeia IKEA, um investimento de 31 milhões de euros e 225 postos de trabalho -, política de juventude não existe – nem o Conselho Municipal de Juventude funciona -, política de Habitação Social, também não. Perante todo este cenário a Autarquia continua fechada ao exterior. Não há informação do que se pretende fazer e muito menos de como fazer.A Oposição em Felgueiras tarda, ainda, a encontrar-se depois da derrota eleitoral. O PS decidiu retirar a confiança política ao seu único vereador eleito no Executivo Municipal alegando que este estava a «prestar um péssimo serviço» aos seus eleitores e aos felgueirenses em particular. A situação pode ser justificável atendendo ao facto de a Comissão Política recém eleita do PS ter uma estratégia completamente diferente da anterior, que nem sequer apoiava a candidatura, mas dependendo da estratégia de agora em diante, pode vir a ser considerado um erro lá para o final do mandato. Experiência disso tem o PSD que por motivos mais do que justificáveis – mas mal compreendidos pelos eleitores – deixou por duas vezes o Executivo Municipal sem qualquer dos seus representantes eleitos. Agora os tempos são outros e espera-se nova forma de fazer oposição. As recentes diferenças de opinião e sentido de voto em algumas matérias, entre Vereadores e respectivas Comissões Politicas, vistas como uma fragilidade, podem ser aproveitas para afinar as máquinas e corrigir os erros cometidos. É que, para um bom governo, boa oposição!
[* Sérgio Martins in Expresso de Felgueiras 7 Julho'06]

Actas

A Autarquia de Felgueiras já publicou a acta nº13. Eu sei que já falei disto, mas, não era muito mais transparente se as actas cumprissem a função para que são elaboradas, ou seja, registar fielmente o que se passa nas reuniões? Há uma série de assuntos de relevância para o concelho que não se percebe muito bem o que ficou, afinal, decidido apesar de se conhecer o sentido de voto. Apenas alguns exemplos da última acta:
O ponto nº3. «Proposta de subdelegação de competências nos Dirigentes dos serviços» - Sabemos que foi aprovada a autorização para a Presidente de Câmara subdelegar nos dirigentes dos serviços, com cinco votos a favor e duas abstenções, dos vereadores do PSD. Alguém sabe que competências são estas e o porquê da abstenção dos vereadores? Não, porque a acta não o refere nem dela consta a declaração de voto dos vereadores do PSD.
O ponto nº4 «Protocolo de delegação de competência na Junta de Freguesia de Caramos – Protocolo Especial» - Foi aprovado por unanimidade este ponto, mas a acta não refere a obra em causa nem o valor atribuído.
O ponto nº 6 – «Atribuição de subsídio aos Ranchos Folclóricos do Concelho» - Não se sabe os montantes nem os ranchos apoiados. Neste ponto, tenho conhecimento de uma proposta feita pelos vereadores do PSD no sentido de «harmonizar» as verbas atribuídas, no sentido de não existirem as enormes disparidades que no passado existiram, que nem sequer consta da acta.
E podia continuar por aí fora, porque as actas estão todas assim. Para quando a publicação integral das actas, com os documentos anexos para que se percebam e cumpram a sua função?
Para melhores exemplos ver apenas (há muitos) os de Lousada e Fafe.

quarta-feira, julho 12

Quanto vale um rancho folclórico?

Uma das coisas difíceis de perceber nesta Autarquia é também o critério de atribuição de apoios financeiros, mais conhecidos como subsídios, às diferentes colectividades, sejam estas desportivas, culturais, musicais ou jovens. Não querendo particularizar nenhum caso em especial, é sabido que a Autarquia «distingue» de forma diferente, através de subsídios, colectividades com o mesmo objectivo, não se conhecendo motivos para tal «distinção». Há ranchos folclóricos do concelho que chegam a receber três vezes mais verbas que outros congéneres. O motivo? não sei.
Agora, porque não, em vez de colocar as coisas ao livre arbítrio, criar critérios objectivos e realistas para calcular o valor de subsídio a atribuir? Assim, a Autarquia não parecia – como parece - estar a cair num critério muito duvidoso de atribuição de subsídios a uns em detrimento de outros, normalmente sempre os mesmos.

terça-feira, julho 11

Rádio Felgueiras, que informação?

Está a decorrer neste momento uma reflexão importante sobre os meios de comunicação social locais e a tentativa de controlo por parte de algum poder autárquico dos mesmos. Não vou falar no geral, mas especificamente de Felgueiras e da Rádio Felgueiras. Desde sempre a RF foi quem chegou diariamente à população felgueirense. Pelo seu formato, em contraponto com jornais semanários ou quinzenários, permite uma actualização diária e permanente das principais notícias locais e nacionais. Mas esse papel que no passado a RF ainda melhor desempenhou está neste momento muito esmorecido. Basta estar atento aos principais noticiários locais (12h e 18h) para se constatar na banalidade noticiosa que a RF caiu. Neste momento os noticiários caíram numa mera caixa-de-ressonância das actividades da Autarquia. Os principais temas, por exemplo da última A.M. não tiveram eco na RF, (excepção feita às declaração feitas na própria AM que tiveram retransmissão nos blocos de notícias), não foram ouvidos os intervenientes nos processos, os vereadores e os líderes dos partidos políticos concelhios. Questões como a do Estádio Municipal, ISCEF, compra do imóvel, Casa do Risco ficam sem tratamento jornalístico. É feita uma entrevista à Presidente de Câmara sem abordar um único tema mais polémico (as perguntas são previamente combinadas?). Não são ouvidos os vereadores da maioria e da oposição. O PS retirou a confiança política ao seu único vereador e este não foi ouvido para manifestar a sua posição. Há aqui algo a modificar, até porque no passado a componente informativa da RF já foi muito forte. É um apelo que faço ao Director de Informação da RF, Torcato de Sousa, que já foi companheiro neste blogue, que reformule e adeqúe a área de informação da RF aos novos tempos.

segunda-feira, julho 10

Contributo


Concordo em absoluto, Paulo e também concordo no contributo do «como eu faria…». Mas o que a Presidente de Câmara, Dra. Fátima Felgueiras disse na última A.M. (EF, 06/7/07 p.3) é que a construção de um novo edifício custaria à Autarquia mais de cinco milhões de euros (mais ou menos um milhão de contos). Ora para custar esse dinheiro, digamos que o edifício deveria ter qualquer coisa como 12.500 m2 de construção e 18 andares. A proposta que fazes (que vai de encontro aquilo que já aqui tinha sugerido), é a mais lógica por todos os motivos já apontados. O lote (nº49) que a Autarquia já tem e que é destinado a «Edifício Público Administrativo» permitiria construir um edifício com cerca de 2.800m2, mais do que suficientes para as necessidades da Autarquia, com um custo aproximado de 1,25 M€ (cerca de 250 mil contos). Claro que alguns vão dizer, então se não há dinheiro para comprar um edifício como é que vão arranjar dinheiro para construir o que quer que seja. É que há outras soluções. Porque não fazer como por exemplo em Santarém, onde o Presidente da Autarquia, Moita Flores, obteve como contrapartidas da empresa que ganhou o concurso para a concessão do saneamento, a construção do novo edifício municipal, um parque subterrâneo e um patrocínio para o Festival Internacional de Música do Alviela enquanto este se realizar?

O que é que eu faria se....

Para não dizerem que o people do F2005 é do bota-abaixo, vou passar a dizer o que faria com os Euros que, a meu ver, a CMF desperdiça.
Assim, e para começar:
a CMF quer pagar Eur 500.000 por um edificio de 400m2 (área total) atrás da CMF que, evidentemente, necessita de obras para poder ter alguma utilidade.
EU construía um edifício com 1250m2 úteis num dos lotes que a CMF já possui na Urbanização Portas da Cidade, concentrando aí uma grande parte dos Serviços Municipais e ainda poupando muito dinheiro que, no outro Edifício, será desperdiçado.
Para que não restem dúvidas, se a CMF quiser EU FAÇO MESMO!

Crónica do «trio-eléctrico», em jeito de pensamento

Não sei que motivos levam uma presidente de câmara a trazer, contratando, uma pequena parte de uma escola de samba, no caso os «Unidos da Tijuca», para, em cima de um camião, género «trio-eléctrico», desfilar avenida abaixo, avenida acima, tocando samba e outras modinhas de terras de vera cruz, a cerca de cem felgueirenses que impávidos como se de uma procissão de tratasse, seguiam o camião. Não consigo, por mais que tente encontrar, objectivamente, justificação. Intercambio cultural? Cultura para o povo? Não, não consigo. Juro que ainda pensei que talvez fosse para exibir os dotes de sambista da Sra. Presidente, mas não, também não é por aí, pois claro, mas também, lá por eu ter nascido em Angola, não quer dizer que tenha que saber dançar kafundeji.

Apenas para que conste - IV

Continuamos a aguardar, serenamente, a divulgação dos resultados do relatório de vistoria efectuada, com quantificação dos prejuízos financeiros, ao Estádio Municipal Dr. Machado de Matos, pelo vereador Dr. Bruno Carvalho, responsável pela área do Desporto.
[nota] Segundo o «Expresso de Felgueiras», o novo clube do concelho o C.A.F., vai ter uma vistoria da A.F.Porto, ao estádio, com vista a homologar o recinto para que possa ser usado na próxima época pelo clube. Se o estádio municipal não estiver em condições o CAF fica sem estádio.

Não é que tenha a ver com isso...

... Mas O Zé Carlos Pereira garantiu-me, jurou-me mesmo, que não coloca comentários anónimos...
... Conheço o Zé Carlos há muitos anos e não me restam dúvidas que está a dizer a verdade... portanto anda p'raí um mamífero marinho a gozar com a malta....
... Já p'ra não falar dos que nos preferem a discutir entre nós do que a discutir o que realmente interessa.

sexta-feira, julho 7

Não é isso que vai mudar...

Não amigo PCR,
Nós não precisamos (estamos) na silly season, o que nós precisamos é de uma revolução, tal como eu já escrevi numa das minhas crónicas de opinião.
«O que nós precisamos é de uma revolução, não daquelas «tomba regimes», mas de mentalidades. Por mim não precisa ser em Abril, pode ser já em Maio.»
Já vamos em Julho...

Notícias que (não) vão mudar Felgueiras

O Sérgio Martins diz que o Golfinho é o JCP.
O JCP diz que a sua pessoa não é o Golfinho.
O Golfinho, seja ele quem for, não diz nada.
No fundo, uma discussão entre os dois mamíferos mais inteligentes à face da terra: o Golfinho e o Homem. Só falta saber qual a ordem de inteligência...
Com fait-divers destes parece que chegou a silly season!

Agora, sem comentários…

No seguimento de coisa menos positivas que têm acontecido na caixa de comentários, foi decidido:

  • Retirar a possibilidade, automática, de publicação de comentários;
  • Publicar todos os comentários que nos sejam enviados, que se cinjam ao assunto abordado pelo post;

[n.r.] Infelizmente o que se tem passado na caixa de comentários vai contra todo o espírito do debate democrático que eu pretendi conseguir ao criar este blogue. A discussão saudável em torno de assuntos importantes para o concelho, colocando os restantes munícipes a participar com a sua opinião, verifica-se impossível quando pessoas mal intencionadas, levadas por impulsos destruidores e mesquinhos de pequenas invejas (mas de quê?), fazem deste humilde e pequeno blogue um alvo das suas frustrações e pequenez. Isto não significa um «atirar de toalha ao chão», antes pelo contrário. Significa que muito há ainda a fazer...

quinta-feira, julho 6

Agora, sem mãos....

Já não sei se sonhei ou se li algures que uma das etapas da Volta a Portugal em Bicicleta termina em Felgueiras...
Mas como sei que estas "honras" custam dinheiro, devo ter sonhado... de certeza que a CMF, que tão mal de finanças está que até as FELGUEIRIADAS cancelou, não ia agora estourar umas dezenas de milhares de euros numa Chegada de Bicicletas...
devo ter sonhado...digo eu...

Freestyle Felgueiras 2006...

Foi lindo, pá! Quase tão lindo como a "continha" que a Câmara vai ter que pagar pelos estragos causados....
Já agora, gostaria de informar que, no que depender de mim, irei até às últimas consequências para apurar eventuais responsabilidades e irregularidades em todo este processo...
Até lá... vejam o vídeo.

terça-feira, julho 4

Apenas para que conste - III

Continuamos a aguardar, serenamente, a divulgação dos resultados do relatório de vistoria efectuada, com quantificação dos prejuízos financeiros, ao Estádio Municipal Dr. Machado de Matos, pelo vereador Dr. Bruno Carvalho, responsável pela área do Desporto.
[Nota] Amanhã é dia de Reunião de Câmara, será que passados dois meses não é ainda possível apurar prejuízos, apresentar o relatório e tornar pública a decisão e o apuramento de responsabilidades?

News


«Lixa aguarda reunião de câmara» no O Norte Desportivo

Serviço Publico

O Bloco de Esquerda / Felgueiras, organiza um debate sobre o tema: Felgueiras – Que Saúde? A realizar no próximo dia 7 de Julho, no auditório da Biblioteca Municipal. O resto do programa já está na página de conteúdos do «Felgueiras 2005».
[adenda] o programa foi alterado.

segunda-feira, julho 3

News & Outras coisas mais

«Entrevista de Eduardo Teixeira» in Semanário de Felgueiras
Felgueiras recebe final de etapa da Volta a Portugal em bicicleta
«A propósito de “blogging”» por Hélder Quintela
«Cortejo Histórico» in Expresso de Felgueiras
«Felgueiras mais próxima do Porto (…) sem portagens» por Armindo Mendes

Perfil

O destaque efectuado, hoje, no noticiário da RF da entrevista concedida ao programa «Perfil» pela Presidente da Câmara, Dra. Fátima Felgueiras, (de que eu ouvi apenas o destaque noticiado) incidiu sobre dois aspectos: a questão das finanças da Autarquia e a questão do desemprego.
Em relação ao primeiro existe uma pequena alteração de mensagem. Agora, apesar das dificuldades, diz que «vamos encontrar soluções» para continuar a realizar obras importantes. Quanto ao segundo. Pela primeira vez a Presidente toma uma posição pública sobre o gritante problema que é o desemprego em Felgueiras, dizendo que a aposta deve ser nos serviços, como forma de diversificar a estrutura empresarial e também na Zona de Acolhimento Empresarial de Várzea (ZAEV) que vai permitir atrair investidores para o concelho. O que ainda não explicou é como o vai fazer. Como é que a ZAEV vai funcionar, como é que vão ser vendidos os terrenos, pavilhões, armazéns e de que forma é que vai funcionar a gestão da dita ZAEV. Muitas incertezas numa altura em que é preciso ter certezas do caminho a seguir.

Serviço Público

No sentido de aumentar a qualidade, o «Felgueiras 2005» já tem a sua própria página de conteúdos, onde teremos todo o gosto de alojar documentação, textos ou outro tipo de ficheiros, de objectiva relevância no âmbito deste blogue, de todos aqueles que o pretendam fazer, desde o cidadão a organismos e instituições.
Também no mesmo sentido já está instalado no «Felgueiras 2005» o serviço StatCounter, versão profissional, que permite um maior controlo dos acessos a este blogue, assim como uma contagem mais rigorosa dos visitantes.